Em 13 pontos, lançamos elementos fundamentais para constituição de um grupo carnavalesco, des­de a escolha da dança, organização, composição dentre outros elementos técnicos ou administra­tivos inerentes da actividade carnavalesca. Neste âmbito, enumeramos os seguintes pontos:

1. Escolher o tipo de dança que irão representar entre o Semba, Kabetula, kazukuta ou Dizanda ou outro tipo existente no local.

2. Escolher o nome do grupo, consultando alguns nomes já existentes ou outro mais actualizado para que não haja conscidências

3. Indicar as características do grupo, se é de raiz tradicional para participar em concurso ou ape­nas Bloco de Animação

4. Seleccionar 5 (cinco) elementos que deverão in­tegrar o Corpo Directivo para os seguintes cargos:

– Presidente, Secretário-geral, Director Artístico, Comandante, Tesoureiro

5. Marcação da data e local para uma reunião de concertação, com a seguinte ordem de trabalho:

5.1) Análise do nome, tipo de dança e característi­cas escolhidas.

5.2) Distribuição de tarefas aos membros presen­tes ou não, para angariamento de sócios e patro­cinadores individual ou colectivo.

5.3) Escolha do tema a apresentar pela primeira vez elaborando-se o enredo, seleccionando-se os elementos que irão apresentar o Rei, a Rainha, o Conde, a Princesa, a Enfermeira, os dois Gentios, o Comandante, os Percussionistas (uma Ngoma, duas Caixas, uma Corneta e outros instrumentos julgados necessários), o Porta Painel, os Che­fes das Alas de Bailarinos (Homem e Mulher), o Teatrista, o Coregráfico, o Músico, O Pintor, o Decorador Alegórico, o Chefe da Falange de Apoio e o Chefe de Protocolo.

5.4) Recorrer ao arquivo videográfico para tipos de actuação dos grupos já consagrados em termos de dança e indumentárias.

5.5) Contactar alfaiates, funileiros, decoradores e outros artífices para quantificar os custos totais inerentes a primeira actuação do grupo.

6) Angariamento de Fundos

7. Filiar-se na Associação Provincial junto do nú­cleo municipal da área em que estão sediados.

8) Procurar um espaço para sede e ensaios pre­parativos do grupo

9) Consultar o regulamento Geral do Carnaval e Manual do Júri para melhor se prepararem e concorrerem com eficácia.

10) Consultar a Comissão Provincial Prepara­tória do Carnaval na pessoa responsável da área da Acção Cultural para melhores esclareci­mentos sobre o comportamento do grupo em actuação.

11) Participar atentamente nos encontros sobre palestras seminários, oficinais e workshops a que forem convidados, com pontualidade disci­plinar.

12) Pesquisar obras literárias sobre o nosso Car­naval, entrosando o Tradicional ao Modernismo, sem imitações a comportamentos estrangeiros, para a preservação das nossas raízes culturais.

13) Realização de actividades recreativas para concentração dos membros no sentido de os moldar numa única linguagem e/ou angaria­mento de fundos

Texto de Roldão Ferreira, extraído da revista Carnaval do Ministério da Cultura, ed. 2015, ano 12, nº11, pág. 08 e 09