Gostas de desenhar e queres ganhar dinheiro com os teus desenhos, mas tens medo de ter uma iniciativa por achares que o teu trabalho não é suficientemente bom ou não estás a conseguir alcançar o teu público-alvo? Se a tua resposta for sim, continua a ler para saber quais são os primeiros passos que te dou como conselho para seguires!

Antes de tudo, vou contar um pouco da minha história.

Em 2012, decidi criar uma página no Facebook e depois uma conta no Instagram. Como qualquer começo, os meus desenhos não eram grande coisa, mas, para ganhar algum público-alvo, comecei por desenhar algumas pessoas da Internet e famosos. Também tive aquela paciência enorme de pedir para darem like na minha página, para o pessoal começar a acompanhar o meu trabalho. Aos poucos, fui praticando e inovando na maneira de ilustrar, destacando-me, naquela altura, por ser uma das pouquíssimas jovens artistas que fazia desenhos digitais em Angola. Tirei partido desta vantagem e, aos poucos, fui ganhando o meu público-alvo, fazendo desenhos grátis. Também fazia capas para músicas, mixtapes, etc. Em meados de 2014, comecei a cobrar pelas ilustrações, pois foram dois longos anos a receber bastantes pedidos e, muitas das vezes, as pessoas cobravam-me as solicitações de uma maneira muito feia. Comecei a sentir-me muito pressionada, mas, como queria ganhar destaque – sinceramente parecia que não tinha vida –, virei uma escrava das tecnologias. A minha vida era estar o dia todo no iPad a fazer desenhos, não tendo a possibilidade de ajudar a minha família e não me focando tanto nas aulas, até que um dia dei um stop naquilo. Fiquei um bom tempo com as minhas contas desativadas, e foquei-me em outras coisas, mas, claro, continuei praticando e praticando de 2012 para finais de 2013.

Em 2014, reabri as minhas contas e voltei “em grande”, com alguns progressos nas minhas ilustrações, e a qualidade dos meus trabalhos estava melhor. Por vezes, tinha aqueles “conhecidos/amigos” que pediam-me para fazer gratuitamente, e às vezes cedia e fazia-os, o que achava injusto para com aqueles que me pagavam. Algumas vezes, falhei com os meus clientes, em termos de cumprimento de prazos dos trabalhos solicitados. Tentava estabelecer horários para desenhar, mas não eram completamente cumpridos, e como estava tão obcecada em querer ter destaque, aceitava fazer coisas que nem sequer tinha possibilidade, só para não perder “oportunidades”, acabando por falhar na maioria das vezes.

De 2014 para 2016, recebi vários pedidos, propostas de trabalhos/colaborações e coisas do género, começando por explorar mais a “Arte Mãe”, desenhar à mão em papéis, telas e cartolinas. Decidi criar as minhas marcas (REBEL LEMON & Capas by MLI) de forma a expandir os meus trabalhos em produtos.

De 2016 para 2017, fiquei um bom tempo indisponível para encomendas, estava focada em acabar o meu último ano no ensino secundário e, de uma certa forma, comecei a levar as coisas cada vez mais a sério nas Artes, pois já conseguia colocar os pontos nos “is” ou colocar as coisinhas no seu devido lugar. Aprendi muito com esta minha jornada, e não paro de aprender…

Depois de contar, de uma forma resumida, a minha história, vou destacar os que foram os meus principais erros e seguidamente os passos:

1º Erro: Inicialmente, não sabia nada de negócios

Quando comecei a cobrar, foi algo sem conhecimento básico de negócio. Não estabelecia preços fixos. Se era algum famoso, cobrava barato ou até fazia grátis. Até tinha medo de dizer que cobrava, só para não perder as tais “oportunidades” (RÍDICULO ISSO!), a alguns “amigos e conhecidos” cobrava, a outros não. E aos apreciadores é que cobrava mesmo a sério. Muito in-jus-to! Não estabelecia metas, e muito menos investia uma parte dos lucros. Gastava tudo.

2º Erro: Para além de não estabelecer os meus preços, fazia certas coisas de que não tinha tanta experiência por falta de prática

Por exemplo, as ilustrações digitais são algo em que tenho experiência (atenção ao meu estilo) pelo facto de ter praticado bastante ao longo de muito tempo. Mas quando comecei a aceitar desenhos à mão, pediam-me, por exemplo, um retrato a grafite, e não tinha experiência nenhuma naquilo, porque nem sequer praticava, achava que era a mesma coisa que pintar com lápis de cor. Já trabalhos em telas, só trabalho com tintas acrílicas, mas já recebi pedidos de pessoas que pediam especificamente com tinta a óleo, e aceitava simplesmente para agradar.

3º Erro: Dizer não quando deveria dizer sim, e dizer sim quando deveria dizer não

Acho que não há necessidade de comentar sobre esse erro.

4º Erro: Correr atrás para destacar-me

Fazia de tudo para ter algum destaque com os meus desenhos, mas depois apercebi-me que não precisava de correr atrás para tê-lo. E esse foi um dos meus maiores erros, desenhar demais para ganhar destaque. Isso é algo que se conquista com muita prática e dedicação ao seu tempo.

5º Erro: Desvalorizar, algumas vezes, os meus trabalhos

Algumas vezes as pessoas faziam-me perder a confiança no meu trabalho, por me mandarem bocas do tipo “ah, tá muito caro”; “vou pagar-te com saldos”; “ah, não gostei”, etc., etc. Por isso, facilmente deixava me fazerem chantagens. Como, por exemplo, (a clássica de todas) “eu tenho muita gente que me segue, com a divulgação vais receber muitos pedidos”. PESSOAL, NÃO A-CEI-TEM ISSO! ISSO É O CÚ-MU-LO! Tempo é dinheiro. O material que uso para fazer os meus trabalhos não cai do céu, e as aplicações que uso não são gratuitas! Estes cantores, designers, figuras públicas que pensam desse jeito, esqueçam deles! Aprendi que não dependo deles para alcançar alguma coisa. Só DEPENDO DE MIM para alcançar o meu público, e tudo ao seu tempo.

Portanto, é com os nossos erros que aprendemos: a errar cada vez mais para o nosso fracasso ou a fazer o inverso para o nosso sucesso. Assim, a seguir, indico os passos para se começar ganhar dinheiro com os desenhos:

1º Passo: Faz um estudo sobre negócio e materiais. Estabelece um plano

Este passo é super fun-da-men-tal. Antes de tudo, procura, investiga e, melhor, conversa com pessoas que estejam a fazer este tipo negócio.

“Mas Márcia, quando eu vou falar com essas tais pessoas elas me respondem mal ou nem sequer chegam a responder”

Se te fizerem isso, simplesmente, não guardes rancor. Infelizmente, não podemos contar com toda gente, mas, mesmo assim, não desistas, continua a investigar, que o Karma trata do resto.

Sobre estabelecer um plano, consiste em elaborares um cronograma com os teus goals, por exemplo:

Eu vou fazer estes tipos de solicitações, vou cobrar X por cada, tendo um tempo útil de Y dias. 70% dos lucros guardo, e os 30% vão para o meu bolso. Quando alcançar Z, atingi o meu Goal A, hora de avançar para o meu Goal B.

2º Passo: Estabelecer horários para desenhar

Os desenhos podem até dar um bom dinheiro, mas, antes disso, todos nós temos prioridades. Estabelecer horários para desenhar é importante, embora exista muitos factores que possam intervir na nossa motivação para a actividade e acabam por nos afectar, já que podemos ficar sem vontade na hora de desenhar, mas, numa outra hora, a vontade aparece. Acontece bastante comigo. Mas agora como consigo ser um bocado flexível, não tem sido um problema.

3º Passo: Se é para cobrar, cobra para todos!

Para quem está a começar fazer desenhos gratuitamente, a princípio, é uma boa forma de alcançar o público-alvo. Mas a partir do momento em que começares a cobrar, cobra para todos, seja quem for. Excepto os pais, irmãos, ou algum familiar muito chegado pelo qual tenhas algum afecto. Por exemplo, não sou capaz de cobrar aos meus pais. Não permitas que alguém, tirando as excepções, desvalorize os teus trabalhos!

4ª Passo: Tudo ao seu tempo

Se, nos teus planos, não estás a alcançar os patamares idealizados, não desanimes! Vai praticando para ti, não para eles! Com o tempo, o que é bom é reconhecido. Faz a tua cena nas calmas.

5º Passo: Acima de tudo, acredita em ti

Por último, mas não o menos importante, sem sombra de dúvidas, isto é a base do teu negócio. Sem isto, as coisas não darão certo. Se queres alcançar o teu público-alvo, mostra que acreditas em ti e mostra que fazes isto por ti, mostra a confiança que depositas em ti, e nos teus trabalhos, que o resto estará ao teu favor. Novamente, faz por ti e não por eles!

Apesar de o texto ter sido feito exclusivamente para os meus queridos leitores que queiram começar a ganhar dinheiro com os desenhos e não estão a obter bons resultados, acabou por ser bastante inspirador para mim, porque, sinceramente, me encontro num recomeço, então, tecnicamente, é como se estivesse a começar do zero. E com os meus erros, pude analisar melhor os aspectos em que falhei, e aqueles em que tenho de melhorar para avançar. E sobre perder grandes oportunidades… perde-as. Faz parte do processo.

“Histórias de sucesso são histórias com fracassos”

Acredita em ti.