Posfácio

Tecidos e texturas na produção poética de Ana Paula Tavares: ilações de “Ritos de passagem”

Ritos de Passagem” compõe-se de declarações, textos que declaram racionalmente os processos de iniciação feminina ao mesmo instante que tece críticas a muitos desses actos cerimoniosos, frutos das crenças e da tradição bantu. De seu plural “ritos”, o lexema “rito”, do latim ritus, remete-nos para o referente nominal “culto” e também a um conjunto de cerimónias de uma religião.

Operação crítica em «Fabrício»: descortinamento da construção técnico-poética de Dario Silva

O poemário é constituído por 10 textos poéticos, datados de 2013 a 2017, dos quais o último se afigura dividido em sete partes. Numa linguagem poética que lhe é bem peculiar, carregada de um certo erotismo, o poeta Dario Silva concebe vários sujeitos poéticos que se debruçam sobre um amor ora incondicional, ora platónico, ora inquieto, ora traidor, ora trapaceiro, ora cego, ora proibido, ora incompatível, juntando-se-lhes a paixão ardente, a saudade, a admiração, o rompimento, o adeus.

Clínico olhar à vitalidade poética em “A arte de sentir” de Orlando kinguzo

Às vezes, a vida veste e reveste-se-nos de intermináveis rodeios. Para quem não viaja, há minutos ou séculos, ser-lhe-á dado o passe livre,pelas mãos, lendo A Arte de Sentir, onde o fluir de um vocabulário diverso,raro e riquíssimo em imagens, cria rios de visões mentais, dos quais, num simples percorrer de páginas, conseguimos reencontrar-nos com a mais remota civilização africana, e, por coincidência, a primeira que o mundo conheceu, o EgiptoAntigo, em reminiscência aos Faraós ou à deusa Nerfertiti, trazidos à nossa presença quer pelas areias movediças do deserto, quer pelo utópico esquecimento onde foram afunilados, e, com eles, as demais mulheres africanas (“Presidiárias da realidade”, p. 32), que se dedicam à empresa da promiscuidade, “beijando bocas”.Entretanto, as outras, a quem o sujeito poético se dedica, vivendo todo esfarelado,manso e submisso, em “charcos de palavras insípidas” se dissolvem, motivo pelo qual o mesmo se questiona: “Seria heresia pensar/ Que o amor não existe?”(p.67).

A ascensão do ser: uma leitura filosófico-analítica em “as idades do vento” de Jaime Munguambe

Toda a crítica literária encerra uma dimensão filosófico-analítica. Os textos literários podem ser lidos de diferentes maneiras, contudo acreditamos que cada texto impõe ao transdutor (críticos ou analistas) um tipo de leitura que é condicionada pelo ângulo que o melhor favorece. Tal imposição pode ilibar, de certas exigências, o indivíduo que materializa objectivamente as suas ideias através do texto literário.